Bebê Morre em Maternidade da Bahia após aspirar vômito fecaloide. Mãe Acusa Negligência no Atendimento. Entenda o caso.

By 01/11/2018Diversos, Saúde
Publicidade

Bebê Morre em Maternidade da Bahia após aspirar vômito fecaloide. Mãe Acusa Negligência no Atendimento.

Enzo Gabriel um bebezinho recém-nascido de 16 dias morreu na Maternidade Albert Sabin,  em Salvador.

A mãe de Enzo a bombeira civil Ana Carla Santos, de 31 anos, alega que houve negligência médica.

Ana Carla a mamãe, conta que o bebê passou mal ao receber alimentação artificial, ficou cerca de uma semana sem fazer cocô e depois vomitou fecaloide, uma secreção parecida com fezes, que foi aspirada pela criança.

Ana Carla esta desconsolada, ela sonhou e planejou ter o primeiro filho, Enzo Gabriel Ferreira dos Santos. O sonho de ser mãe ja tinha sido frustrado uma primeira vez, em outra gestação o bebê morreu ainda na barriga, aos sete meses.

Nesta gravidez ela estava muito preparada para receber a Enzo, Ana montou o berço e o enxoval mas voltou da maternidade sem o filho nos braços. Ana disse que fez pré-natal e o parto foi com 40 semanas. Enzo nasceu no dia 5 de setembro, saudável, pesando 3,5 kg.

“Ele nasceu saudável, perfeito, gordo, bonito. Os médicos falavam: que bebezinho lindo”, disse Ana.
Ana Carla  que tem uma bela profissão como bombeiro civil, contou que ficou sem leite e Enzo precisou ser alimentado com leite artificial. Foi depois disso que o bebê passou mal, ficou sem fazer coco e com a barriga inchada.

“Quando a barriguinha dele começou a crescer eu percebi e falei: ‘doutora a barriga do meu filho está crescendo’. E ela sempre falava: ‘mãe, a barriga dele é normal está perfeito o intestino. Não se preocupa que ele está bem'”.

Apesar das percepções e alertas da mãe, o bebê não apresentava melhoras. A situação piorou quando o recém-nascido vomitou fecalóide, uma secreção parecida com fezes. Enzo aspirou parte do que vomitou e pegou uma infecção.

Logo Enzo foi transferido para UTI do Hospital José Maria de Magalhães Neto, é no dia 21 de setembro, dezesseis dias depois do parto, não resistiu e morreu.

“Ele morreu, praticamente, na minha frente. Quando enterrei meu filho e vi ele ali no chão eu disse: ‘Filho eu vou ficar forte até o último minuto da minha vida porque eu vou lutar para fazer justiça pela sua vida. Não só pela tua, mas por todos aqueles que entram e não voltam. Eu vou fazer justiça. As vezes acordo ouvindo o chorinho dele, mas ele não está aqui comigo”.

Publicidade

Por meio de nota, a Secretaria de Saúde do Estado Sesab), que administra a maternidade, confirmou que, ao nascer, Enzo Gabriel, era uma criança normal e saudável, e que evoluia normalmente, mas depois apresentou um quadro clínico grave e foi internado na unidade de cuidados intensivos neonatal.

Como não melhorava, o bebê foi transferido para a UTI neonatal da maternidade José Maria de Magalhães. Na unidade de saúde, os médicos desconfiaram de obstrução intestinal, mas que antes de fechar o diagnóstico, o bebê faleceu por sepse, que é chamada popularmente de infecção generalizada.

A mãe da criança, Ana Carla, disse que registrou o caso na 13º Delegacia, que fica em Cajazeiras. As circunstâncias da morte do recém-nascido serão investigadas pela Polícia Civil.

Publicidade

Publicidade